Detalhes da notícia

Por Jorn. Eliane Cargnelutti Torres | Postado em: 26/02/2020 - 10:02
Dia de Campo avalia resultados de produto alternativo em cultura de soja
Dia de Campo avalia resultados de produto alternativo em cultura de soja

Técnicos e produtores participaram no sábado,  22, do primeiro dia de campo para avaliação dos resultados do Nanoplant, um produto alternativo produzido pela  Cavalli Produtos Biofísicos e Nanociência , para controle de pragas e doenças na agricultura, além de estimular o crescimento vegetativo e o aumento da produtividade. Os experimentos estão sendo feitos pela MBF Pesquisas Agronômicas e visam testar a campo a eficiência do produto. O Dia de Campo foi realizado em uma propriedade em Pérola Independente, no município de Maripá.

Estão sendo testadas aplicações em diferentes dosagens e em consórcio com fungicidas para ver os resultados no controle de pragas e doenças, além do desempenho da planta, que deverá interferir na produtividade. Ao todo estão sendo feitas três aplicações em áreas de soja, reproduzindo as condições mais próximas possíveis de um cultivo tradicional e dentro de uma metodologia científica. A pesquisa, iniciada em novembro do ano passado, com soja da variedade BS 2606, deverá incluir ainda a contagem de vagens e a pesagem dos grãos para levantar índices de produtividade. A pesquisa, iniciada em novembro, com a semeadura das plantas, deverá ser concluída em março, depois de confrontados todos os dados.

“O produtor pode ter a segurança de que os dados apresentados serão confiáveis. Temos esta preocupação para garantir a confiabilidade de nossa empresa, que presta serviços para várias outras empresas”, informou o assistente da MBF, Luiz Figueredo. Segundo ele, o protocolo desenvolvido entre a MBF e a Cavalli, respeita as condições normais de produção e pretende avaliar a dosagem adequada do produto, os resultados da produção sem e com a aplicação de defensivos, de Nanoplant ou consorciando os dois produtos. Também deverá ser avaliado o desempenho da planta, o que deverá se refletir na produtividade.

“Os produtores e técnicos puderam ver na propriedade os resultados da aplicação no controle de doenças.”Aparentemente estamos tendo resultados bem positivos, mas vamos aguardar para ver o rendimento dos grãos”, comentou o engenheiro agrônomo, Jean Orlando, que acompanha todo o processo  pela  Cavalli Produtos Biofísicos e Nanociência.  Segundo ele, aparentemente os resultados são muito próximos aos dos obtidos com o uso de fungicidas, porém com um custo bem menor e sem danos ao homem e ao meio ambiente, por ser um produto natural.

Testes feitos em outras propriedades pelos produtores rurais também mostraram a eficiência do produto, mas a empresa resolveu fazer a pesquisa para comprovar cientificamente aos produtores os índices alcançados, bem como as dosagens mais recomendadas. O produto vinha sendo usado com sucesso no cultivo de hortas, pomares caseiros, entre outras produções.

 O criador do produto, Leandro Cavalli, também acompanhou o dia de campo. Ele informou que o Nanoplant é derivado de estudos da biofísica e nanotecnologia, que utiliza nanômetros, metais medicinais e frequências vibracionais na estrutura da água, capaz de tratar as plantas em nível celular. O Nanoplant já é utilizado há vários anos em citros, hortas, entre outros produtos, com depoimentos extremamente positivos de produtores, porém nunca tinha sido feito um trabalho tão amplo como este em culturas de campo.  “Fizemos questão de fazer esta pesquisa para comprovar os resultados positivos. Os avanços no controle de pragas e doenças através de produto serão enormes, com o controle de pragas e doenças, aumento da produtividade, redução de danos ao meio ambiente e de custos ao produtor rural. Com certeza, todos sairão ganhando”, reforçou.

No dia de campo também foi apresentado um drone com capacidade de 25 quilos para pulverização de áreas agrícolas. O sistema oferece uma eficiência ainda maior que a pulverização com aviões, especialmente em regiões de difícil acesso. O drone pode fazer voos rasantes – de até 3 metros das plantas – e o sistema de ventilação permite uma penetração maior do produto nas plantas, graças a movimentação feita pelo sistema de hastes para ventilação e sustentação do drone. A Cavalli estuda a possibilidade de parcerias com a empresa, oferecendo ao produtor o Nanonplant já aplicado nas propriedades.

Paulo Cesar Pizzinatto, de Cascavel, foi um dos participantes do dia de campo. Ele está testando por conta própria, em sua propriedade no município vizinho, o Nanonpant. Ele passou o produto em uma área de 5 alqueires, deixando outra como testemunho, sem o uso do produto. “Aparentemente, a área com Nanoplant está mais desenvolvida e controlada. Vamos aguardar os resultados para uma avaliação mais completa na colheita”, disse ele. Segundo o produtor, se o Nanoplant confirmar os resultados anunciados, isso será muito bom para o produtor, que poderá ter os seus custos de produção reduzidos, além de um produto final livre de agrotóxicos, beneficiando a saúde animal e humana e o meio ambiente.

Na área visitada em Pérola Independente, técnicos e produtores também viram diferenças positivas nas áreas tratadas com Nanoplant, com controle de pragas e doenças, e um desenvolvimento maior da planta, com aumento no número de vagens e do tamanho dos grãos. Estes dados, no entanto, deverão ser confirmados na colheita e pesagem do produto, ao final da pesquisa.



Compartilhe:
Notícias relacionadas

Publicidade
Publicidade
Fale conosco
Integração, a sua rádio!
Uma programação preparada especialmente para você!
Rua Almirante barroso, 2018, CEP 85900-020 Centro Comercial Catedral, sala 18
© 2020 | Todos os direitos reservados
Desenvolvido por 4aw